As exportações brasileiras de carne de frango (in natura, cortes, industrializados e carne salgada) registraram alta de 3,7% nos volumes embarcados durante abril em comparação ao mesmo mês de 2013, com total de 352,1 mil toneladas, um recorde para o mês, de acordo com levantamentos feitos pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Em receita, a carne de frango postou uma queda de 9,8% no resultado de abril em relação ao ano passado, com total de US$ 694,3 milhões, informou a ABPA na segunda-feira (5).
 
Entre janeiro e abril deste ano, a carne de frango tinha 1,259 milhão de toneladas embarcadas, um aumento de 1,5% ante janeiro a abril de 2013, enquanto na receita houve redução de 11% segundo a mesma comparação, com total de US$ 2,399 bilhões.
 
“O resultado histórico confirma o comportamento de crescimento moderado no comércio internacional previsto pela ABPA para este ano, assegurado pelo excelente status sanitário mantido pela avicultura brasileira”, disse o presidente da ABPA, Francisco Turra. “O fato de nunca haver registrado qualquer foco de influenza aviária diferencia o país no comércio internacional, e deve continuar a favorecer nossas exportações em meio à preocupante situação da sanidade avícola na Ásia".
 
Para a carne suína, os embarques em abril foram de 36,7 mil toneladas, 24,8% maior ante o mesmo mês de 2013, com receita de US$ 108,5 milhões, um crescimento de 24,35%. Nos primeiros quatro meses do ano, houve queda de 1,53% em volumes (129,3 mil toneladas) e de 1,32% em receita (US$ 368,9 milhões) diante do ano anterior. “A habilitação de novas plantas para exportação de carne suína brasileira à Rússia foi determinante para o saldo positivo de abril”, notou Turra".
 
A expectativa, agora, é que as exportações suinícolas do Brasil expandam sua atuação em regiões onde os Estados Unidos percam espaço por conta da diarreia suína epidêmica.
 
Fonte: CarneTec