Uma pauta com 60 itens de reivindicações e propostas para sanar os gargalos de infraestrutura de transportes de cargas na Bahia foi entregue, nesta quarta-feira (26) em Salvador, à Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). Os projetos integram a Agenda Mínima da Bahia 2015-2018, lançada pela Associação de Usuários dos Portos (Usuport), que ainda destacou, dentre os 60 itens, 14 propostas consideradas mais emergenciais.

"São medidas que devem ser tomadas o quanto antes por já estarem comprometendo a competitividade da economia baiana", afirmou o diretor-executivo da Usuport, Paulo Roberto Villa.

O documento foi entregue ao diretor-geral da Antaq, Mário Povia, além de gestores de outros órgãos públicos da área, executivos e empresários que participaram nesta quarta-feira (26), na capital baiana, do 10º Encontro Anual de Usuários. O evento foi realizado na sede da Federação das Indústrias da Bahia (Fieb).

De acordo com Villa, as 14 propostas emergenciais precisariam ser adotadas em, no máximo, dois anos. No caso dos portos, um dos gargalos que, segundo ele, exigem soluções urgentes é a falta de um segundo terminal de contêineres no estado. "Atualmente, só contamos com um único terminal no Porto de Salvador, o que é insuficiente para as operações baianas".

As exportações baianas alcançaram até o momento este ano oito milhões de toneladas, uma participação de 3% no total nacional. "Antes, éramos 4% e agora só estamos caindo, sobretudo por conta da falta de infraestrutura logística", afirmou Vila, lembrando que a maior parte é exportada de terminais privados.

Ferrovias e rodovias

No aspecto ferroviário, as reivindicações são para que haja uma modernização dos, aproximadamente, 1.800 km de linhas estaduais. Em relação à Fiol, em construção, a Usuport observa: "Falta ainda a integração com o sistema produtivo, pois temos hoje cargas virtuais, num projeto que só terá real impacto após a inauguração do Porto Sul".

No caso das rodovias, o problema estaria na falta de capacidade para atender à demanda. "As concessões para as BR-324 e BR-116 precisam ser revistas, pois até melhoraram um pouco as condições das vias em alguns trechos, mas continuam congestionadas, necessitando de uma terceira pista", disse Villa.

No evento, o arquiteto Prado Valladares voltou a apresentar o Projeto Porto Travessia, que conta com o apoio da Usuport. A proposta prevê a construção de estrutura de ponte com vias rodoviária e ferroviária, integrada a plataformas-cais, na Baía de Todos-os-Santos – inclusive prevendo a ligação rodoviária entre Salvador e Ilha de Itaparica, com o terminal de São Roque, em Maragojipe.

"É um projeto amplo que não só atende às necessidades de passageiros, como também dos empresários, prevendo o transporte de cargas também", como explicou o arquiteto. Pela primeira vez, ele apresentou um vídeo com a animação do projeto.
 
Fonte: A Tarde