O encrencado Marfrig, o segundo maior frigorífico nacional, decidiu que é hora de resolver seus problemas para não ser tragado pro eles.
 
Que problemas? Um endividamento de 11 bilhões de reais. A solução desenhada pelo conselheiro da Marfrig, Sérgio Rial, com o o.k. do controlador Marcos Molina, é vender os ativos que possui no Brasil ao Minerva, o terceiro maior frigorífico do país. A operação internacional ficaria com a BRF (Sadia/Perdigão).
 
As negociações com o Minerva já começaram. Rial quer fechá-la com rapidez.
 
A oferta para a venda conta com um deságio em relação ao valor da ação na Bovespa. Se a transação avançar, será o fim do Marfrig como conglomerado. E também o fim de mais um “campeão nacional” em que o BNDES apostou alto.
 
Fonte: Radar On Line/Veja – Por Lauro Jardim