Skip to main content

A União Europeia (UE) registrou preços recordes da carne bovina em 2012. Preços similares somente foram vistos durante períodos de escassez de boi gordo após severas epidemias de doenças. A oferta de gado será restrita neste final de 2012 e 2013 e muito provavelmente em 2014 devido à baixa produção de carne bovina na UE e globalmente. Isso resultará em contínuos preços elevados.
 

As margens da indústria de carnes da UE foram pressionadas nos últimos anos devido ao impacto dos maiores preços da carne bovina na cadeia. Com o custo dos alimentos para animais próximos aos níveis recordes de 2008 e suspeita liquidação de rebanho em diferentes países do mundo, a principal questão para a indústria global de carnes atualmente é qual será a produção de carne bovina da UE e os preços resultantes em 2013 e 2014.
 
Os preços da carne bovina da UE tiveram um forte aumento inesperado, que resultou em preços recordes acima de 4 euros (US$ 5,14) por quilo para novilhos R3 desde maio de 2012. O aumento nos preços começou no final de 2010, quando a baixa disponibilidade global de carne bovina e a abertura do mercado da Turquia para a carne bovina da UE resultou em aumentos nas exportações. Essa situação continuou em 2011 e resultou em mais demanda por gado.
 
Ao contrário da tendência na UE desde 2004, o número de gado abatido na UE aumentou 0,7% em 2010 e declinou apenas 0,7% em 2011 após firme declínio desde 2000 (Taxa composta de crescimento anual 2000 a 2009: -1,1%). Além disso, as exportações de gado gordo triplicaram de 38.000 toneladas em 2009 para 101.000 toneladas em 2011.
 
Com o número de gado abatido na UE caindo 5% na primeira metade de 2012, a oferta escassa é quase que totalmente responsável pelos atuais fortes de preços em 2012. Dificilmente o aumento constante de preços desde novembro de 2010 continuará durante 2012, à medida que é esperada alguma recuperação na oferta no segundo semestre de 2012.
 
Entretanto, a oferta de carne bovina permanecerá escassa pelo menos em 2014. Não existem sinais de retenção de rebanho, que está caindo na UA. Dessa forma, a oferta de carne bovina da UE permanecerá restrita pelo menos 2014. Esse fator, combinado com uma capacidade internacional de oferta que deverá ser mais pressionada, aponta para preços relativamente elevados para a carne bovina.
 
Fonte: Rabobank, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.