Skip to main content

A fusão entre a União Brasileira de Avicultura (Ubabef) e Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora deCarne Suína (Abipecs) está em estudo. Nesta quinta, dia 16, durante a divulgação dos números da avicultura brasileira em São Paulo, a Ubabef confirmou a possível união e declarou que isso trará mais sinergia e vigor para as cadeias produtivas de carnes suína e de aves. A fusão entre as duas entidades é cogitada pelo mercado desde 2012, mas os rumores ganharam força somente no final do ano passado.
 
 
– Isso está sendo estudado num debate bem democrático. Acho que torna a entidade mais vigorosa, mais poderosa, além de criar uma boa sinergia no campo da exportação, principalmente quando se vai prospectar um mercado. Ao descobrir mercado para um, você descobre para outro. É natural, abre para frango, abre para suínos, para bovinos e etc. – disse o presidente da Ubabef Francisco Turra.
 
 
A união pode impulsionar ainda mais os números das exportações brasileiras que, na avicultura, ganharam mais em receita do que em volume no ano de 2013.
 
 
– Hoje estamos mais preparados e estruturados e o núcleo de inteligência está nos ajudando bastante com conhecimento do mercado externo, comportamento do consumidor. O Brasil está muito antenado nisso. A prova é que neste ano nossos concorrentes, União Europeia e Estados Unidos, cresceram pouco em volume e perderam em receita de 1% a 2%. Nós crescemos 4% porque trabalhamos, estamos melhor estruturados – analisou Turra.
 
 
As exportações brasileiras de carne de frango totalizaram 3,89 milhões de toneladas em 2013, registrando queda de 0,7% em relação ao ano passado. Já na receita, houve crescimento de 3,4%, com US$ 7,97 bilhões. O Oriente Médio continua sendo nosso principal comprador, com 37% do mercado; seguido pela Ásia, com 29% e África, com 14%. Segundo a Ubabef, a expectativa para esse ano é de abertura de novos mercados, que podem gerar um crescimento entre 2% e 2,5% nas exportações. No mercado interno, o consumo de carne de frango reduziu cerca de 4%.
 
 
A Abipecs informou através da sua assessoria de imprensa que não vai comentar sobre a possível fusão com a Ubabef. Segundo a assessoria, esta decisão dependerá do conselho da entidade, que avalia a viabilidade legal do caso.
 
Fonte: Canal Rural