A Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) lançou nesta semana uma Carta Aberta dos Suinocultores Brasileiros ao país. O documento ressalta a importância do setor para a economia nacional e aponta as dificuldades vividas pela suinocultura brasileira, que passa por um período de crise. Na carta, os pecuaristas também apresentaram sugestões para melhorar a situação da atividade, como a votação da do PL 7416/2010, que inclui a carne suína na Política de Preços Mínimos do Governo federal, a prorrogação das dívidas de investimento e custeio pecuário dos suinocultores brasileiros e a criação de um fundo de crédito do governo federal para empréstimos para produção e financiamento da atividade.
 
De acordo com a ABCS, a atual crise é a mais grave já enfrentada pelo setor, que pode ter as atividades paralisadas parcialmente. Centenas de granjas correm o risco de fechar e aproximadamente um milhão de trabalhadores podem ser afetados. A ausência de um preço mínimo para a produção, além dos elevados custos da atividade e o recuo das demandas interna e externa, devido às dificuldades impostas por importantes países compradores de carne suína, como a Rússia e Argentina, são os principais problemas que afligem o setor.
 
A Carta também convida os suinocultores a participarem de um ato público em Brasília no dia 12 de julho. O objetivo é cobrar do governo federal medidas que auxiliem na recuperação da atividade. A principal demanda é a implementação de uma política de preço mínimo para a suinocultura. 
 
Fonte: Rural BR