Skip to main content

Os reflexos da crise hídrica para a produção agrícola e a possibilidade de restrições no uso da água para a irrigação da lavoura serão discutidas nesta sexta-feira (30), numa reunião entre agricultores e representantes do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), às 10 horas, na sede da Associação dos Agricultores do Cocuera. Na quinta-feira, a Secretaria de Estado da Agricultura também anunciou ações para racionalizar o uso dos recursos hídricos nos campos de plantação, entre elas a revisão e uso diferente dos equipamentos de captação e irrigação. Os trabalhos vão começar pelo Alto Tietê, segundo informou a Pasta. Depois, serão desenvolvidos nas bacias do Cantareira e Piracicaba. Essas regiões são as mais afetadas pela seca.
 
A parceria firmada pela Secretaria de Estado de Agricultura e a Câmara Setorial de Irrigação prevê, como primeira ação, a visita de técnicos às lavouras para aferição dos equipamentos para um uso mais eficiente da água, independente da tecnologia usada para a irrigação. Depois disso, virá um plano de manejo da água, que visa preservar entre 20% a 30% do volume usado na produção. Os produtores que estiverem em situação irregular também terão de se regularizar, conforme as ações definidas ontem.
 
A principal pergunta dos agricultores é se será mesmo decretada a restrição ao uso da água, de quanto seria essa restrição e partir de quando. São esses questionamentos que devem ser respondidos hoje pelo diretor-superintendente do DAEE, Ricardo Borsari, e a diretora da Bacia do Alto Tietê do DAEE, Seica Ono, na reunião marcada para a Associação dos Agricultores do Cocuera. A expectativa é de que 400 agricultores participem do encontro. Além de Mogi, foram convidados produtores de Biritiba Mirim, Salesópolis e Guararema.
 
Fonte:  O Diário de Mogi