Skip to main content

Os produtos básicos praticamente mantiveram no primeiro trimestre a participação que tiveram no total das receitas das exportações de janeiro a março de 2015.
As receitas do setor atingiram US$ 17,4 bilhões, com participação de 42,8% do total exportado. Em 2015, esse percentual era de 42,9%.
Poucos produtos foram responsáveis por essa manutenção: soja, milho, algodão e carnes. Líder da balança comercial, a soja teve uma evolução de 46% nas exportações, quando consideradas as receitas em dólares, apesar da queda de preços da oleaginosa no exterior.
O milho, líder em desempenho percentual -alta de 111% no trimestre-, rendeu US$ 2 bilhões no ano e se mantém como o terceiro principal item na balança geral.
A carne bovina "in natura" teve aumento de 11% nas receitas; a suína, 25%. Já o algodão rendeu 56% mais.
 
Carnes
As exportações de carnes "in natura" renderam US$ 1 bilhão no mês passado. Esse volume financeiro supera em 14% o de igual mês do ano passado, quando os preços praticados no mercado internacional eram superiores aos atuais.
 
Volume
As receitas em dólares aumentaram graças ao acelerado ritmo da colocação de carne brasileira no mercado externo. Líder no setor, o volume de carne de frango subiu para 369 mil toneladas; o de bovina, 111 mil; e o de suína, 57 mil.
 
Milho
A exportação nos três primeiros meses deste ano somou 12,7 milhões de toneladas, 155% mais do que em igual período anterior. As receitas foram a US$ 2 bilhões, 79% mais do que as de janeiro a março de 2015
 
Fonte: Folha de S. Paulo