A soja e as carnes continuam dando suporte para a balança comercial. Os dados da SECEX (Secretaria de Comércio Exterior) indicam que as vendas externas de soja perderam ritmo na média diária neste mês.
 
Julho terá, no entanto, um número maior de dias do que junho, o que vai permitir um volume total a ser exportado de 6,7 milhões de toneladas, um pouco acima dos 6,6 milhões do mês passado.
 
Se as exportações de julho atingirem esse volume, o país terá exportado 29 milhões de toneladas de soja em apenas quatro meses, 74% dos 39 milhões que deverão ser vendidos neste ano, segundo a ABIOVE (Associação Brasileiras das Indústrias Brasileiras de Óleos Vegetais).
 
As receitas dessas vendas externas continuam irrigando o saldo total da balança comercial, que é positivo neste mês em US$137 milhões.
 
A soja em grãos deverá render US$3,6 bilhões neste mês, após ter atingido US$3,4 bilhões no anterior. Em julho do ano passado, foram US$2,2 bilhões, conforme os dados da SECEX.
 
O segmento de carnes também registra um bom desempenho nos últimos meses. As exportações de carne bovina deste mês superam as do mês passado e devem somar 110 mil toneladas de produto in natura. As receitas deverão subir para US$490 milhões.
 
A carne de frango, a principal nesse segmento, perdeu um pouco de força, quando se compara a média diária com a do mês anterior, mas as receitas serão maiores devido ao número de dias.
 
Pelos dados atuais da Secex, as exportações de frango deverão somar 315 mil toneladas de produto "in natura", com receitas previstas de US$612 milhões.
 
Fonte: Folha de São Paulo