Skip to main content

Após se reunirem nesta quarta-feira (19) com a ministra-chefe da Secretaria das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, representantes da avicultura e da suinocultura conseguiram marcar um encontro para a próxima segunda-feira (24) com participação da área econômica do governo federal – Ministérios da Fazenda e do Planejamento.
 
Eles buscam uma solução para os problemas financeiros enfrentados pelos dois setores em função da alta dos preços do milho e das dificuldades enfrentadas para abastecimento do cereal. A informação é do deputado federal Valdir Colatto (PMDB-SC), que, juntamente com o setor privado, também se reuniu hoje com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e o Ministério da Agricultura.
 
Segundo o deputado, os criadores de aves e suínos cobram do governo medidas para viabilizar o escoamento de 3 milhões de toneladas de milho da região Centro-Oeste para atender as granjas de São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, até janeiro de 2013, quando a começa a colheita da safra nova.
 
Ele disse que o custo das operações está estimado em R$ 300 milhões, que corresponde a R$ 5 por saca, ou 15% do valor do frete. Uma solução seria o governo permitir a utilização de parte do crédito presumido relativo ao PIS/Confins das empresas exportadoras.
 
O setor privado também pediu ao governo o aumento do valor destinado ao custeio pecuário de R$ 70 mil para R$ 140 mil por produtor rural e a criação de uma linha especial de crédito destinada ao financiamento da compra de milho e farelo de soja pelas agroindústrias, cooperativas e criadores.
 
O Conselho Monetário Nacional (CMN) deve aprovar na próxima semana o subsídio de 15% ao frete para escoamento do milho do Centro-Oeste para as regiões consumidoras. Os criadores do Rio Grande do Sul e Santa Catarina enfrentam problemas de abastecimento por causa das quebras de safra do milho provocadas pela estiagem no início deste ano.
 
Fonte: G1
Foto: DF Rural