Skip to main content

Com o título “Oportunidades da carne brasileira no mercado mundial”, um seminário realizado pela Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul (Federasul) debateu na tarde deste sábado (25) as relações entre produção, indústria e marketing do setor, durante a programação da 35ª Expointer, em Esteio, na Região Metropolitana de Porto Alegre.
 
O evento ocorreu na Casa RBS e teve a abertura do presidente executivo do grupo, Eduardo Sirotsky Melzer. O painelista convidado foi o irlandês Jeremiah O’Callaghan, diretor da JBS Mundial, considerada a maior empresa em processamento de proteína animal do mundo. Segundo ele, Brasil, Austrália e Estados Unidos são as maiores potências do setor e devem ficar de olho no crescimento da Índia.
 
Jeremiah iniciou o painel apresentando pontos importantes sobre a produção bovina no mundo. Ele afirmou que a África é responsável pela maior tendência de consumo de carne, tendo aumentado 70,2% nos últimos 10 anos. No entanto, a próxima década promete consolidar não apenas o Brasil, mas também Austrália e Estados Unidos como os maiores produtores. “Dados do The Economist afirmam que temos poder para alimentar todo o planeta”, ressaltou.
 
A sustentabilidade foi outro ponto forte do encontro. “Acompanhamos nossas propriedades e investimentos no bioma amazônico”, afirmou o diretor sobre a JBS Mundial. O secretário estadual da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi, que estava entre os ouvintes, questionou o tema e a importância de se pensar em soluções viáveis de sustentabilidade voltadas também para os pequenos agricultores.
 
Também participaram do debate o presidente da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil, José Paulo Dornelles Cairoli; o vice-presidente da Federasul e coordenador da Divisão de Agribusiness, José Américo da Silva; e a editora de economia do jornal Zero Hora, Marta Sfredo. A mediação ficou por conta do jornalista e apresentador do Canal Rural, Irineu Guarnier Filho. A plateia era constituída por empresários do ramo.
 
Fonte: G1
Foto: Luiza Carneiro / G1