O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) reduziu novamente as estimativas de safra de soja e milho devido à seca que atinge o país. Temperaturas mais baixas e chuvas no mês passado melhoraram as condições em regiões produtoras importantes, mas o alívio da seca veio tarde demais para melhorar a produtividade da maioria das lavouras, disse o USDA, em relatório mensal de oferta e demanda divulgado nesta quarta-feira.
 
Para o milho, o governo norte-americano prevê agora que o rendimento será o mais baixo desde 1995 e a produção será a menor em seis anos. A estimativa de produtividade foi reduzida para 122,8 bushels por acre (7,71 toneladas por hectare), ante os 123,4 bushels por acre previstos em agosto (7,74 toneladas por hectare). O USDA projetou ainda que a produção deve chegar a 10,727 bilhões de bushels de milho (272,47 milhões de toneladas), 53 milhões de bushels a menos do que a estimativa de agosto e 1,5 bilhão de bushels abaixo do obtido no ano anterior.
 
"Chuvas esparsas e temperaturas um pouco mais baixas levaram algum alívio para o milho plantado mais tarde em partes do Meio-Oeste durante a primeira semana de agosto, mas o calor extremo e a continuidade da falta de umidade no sul e oeste do Cinturão do Milho seguiram prejudicando as lavouras", destacou o órgão.
 
O governo norte-americano não cortou a sua projeção de estoques domésticos no fim do ano comercial 2012/13, contrariando a expectativa do mercado. O USDA destacou que os estoques finais da safra anterior são maiores do que o esperado. A previsão para os estoques finais de 2012/13 foi aumentada para 733 milhões de bushels (18,62 milhões de toneladas), ante 650 milhões de bushels (16,51 milhões de toneladas).
 
De acordo com o relatório, os produtores de soja também foram muito atingidos pela seca recorde deste ano. O USDA cortou a estimativa de produção da oleaginosa em 2012/13 para 2,634 bilhões de bushels (71,69 milhões de toneladas), redução de 2% em relação à previsão de agosto, de 2,692 bilhões de bushels (73,27 milhões de toneladas), e queda de 14% ante os 3,056 bilhões de bushels produzidos no ano anterior (83,18 milhões de toneladas).
 
O governo informou também que espera rendimento de 35,3 bushels por acre (2,37 toneladas por hectare) para a soja da nova safra. Em agosto, o órgão projetava 36,1 bushels por acre (2,43 toneladas por hectare).
 
"Temperaturas mais frias na Grande Planície, no Meio-Oeste e Meio-Sul chegaram tarde demais para ajudar no desenvolvimento das lavouras de verão devastadas pela seca", destacou o USDA. "Além disso, muitas das áreas mais secas das Grandes Planícies e do Meio-Oeste não receberam muitas chuvas no período de clima mais ameno."
 
Com menos milho e soja sendo produzidos nos Estados Unidos, exportadores devem sofrer, conforme o USDA. O órgão revisou para baixo a previsão de exportações de soja no ano comercial 2012/13 para 1,055 bilhão de bushels (28,71 milhões de toneladas), uma redução de 55 milhões de bushels em relação à estimativa de agosto. A projeção para as exportações de milho em 2012/13 foi reduzida para 1,25 bilhão de bushels (34,02 milhões de toneladas), queda de 50 milhões de bushels ante a previsão anunciada no mês passado.
 
Há pouco, o contrato de soja com vencimento em novembro subia 31,50 cents (1,85%), a US$ 17,33/bushel. Já os lotes de milho para entrega em dezembro recuavam 9,25 cents (1,19%), a US$ 7,6850/bushel. O trigo para o mesmo mês perdia 0,75 cent (0,08%), a US$ 8,83/bushel. As informações são da Dow Jones.
 
Fonte: G1