O agronegócio brasileiro registrou um superávit de US$ 8,7 bilhões em suas transações com o exterior em agosto, um aumento de 18,6% em relação ao mesmo intervalo de 2012, reportou há pouco o Ministério da Agricultura. As exportações do setor cresceram 15,4% na mesma comparação, a US$ 10,17 bilhões. O valor corresponde a 47,4% de todas as exportações do país no período. Já as importações recuaram 0,5%, a US$ 1,46 bilhão. No ano, o setor acumula um saldo comercial de US$ 57,74 bilhões, 11,3% maior do que o registrado entre janeiro e agosto de 2012. Na mesma comparação, as exportações cresceram 10,3%, a US$ 69,04 bilhões, enquanto as importações avançaram 5,5%, a us$ 11,29 bilhões. O chamado complexo soja (grão e derivados) continua a ser o carro-chefe do setor. A commodity gerou uma receita de US$ 3,62 bilhões em agosto e US$ 24,88 bilhões no acumulado do ano, o que significa um crescimento de 54,8% e 16,2%, respectivamente. Em agosto, as exportações do chamado complexo sucroalcooleiro (etanol e, principalmente, açúcar) aparecem em segundo lugar, com US$ 1,68 bilhão de receita (+12,7%), à frente das carnes, que geraram divisas de US$ 1,43 bilhão (+8,5%). No acumulado do ano, entretanto, as carnes aparecem em segundo lugar no ranking, com receita de US$ 11,02 bilhões (+9,7%), à frente do complexo sucroalcooleiro, com US$ 9,1 bilhões (+15,6%). No lado das importações, o item que mais pesa na balança do setor é o de cereais, farinhas e preparações, no qual estão contabilizadas as aquisições de trigo. Em agosto, foram US$ 296,4 milhões, queda de 10,4%. No ano, entretanto, a conta ficou 25% mais alta, totalizando US$ 2,66 bilhões. Só as importações de trigo cresceram 38,8% entre janeiro e agosto, para US$ 1,57 bilhão.
Fonte: Valor