A constatação é de um relatório elaborado pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ), entregue nesta quarta-feira (19/6), ao presidente da Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia, deputado Jerônimo Goergen (PP-RS).
 
O diretor de Relações Institucionais da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ), Márcio Ribaldo, explicou como o custo influencia o preço final dos produtos.
 
– Um produto qualquer fabricado na Alemanha, se eu trouxesse essa fábrica para o Brasil, com os mesmos operários, com a mesma matéria-prima, com mesma produtividade, esse produto sairia 43,5% mais caro do que na Alemanha e do que nos Estados Unidos. Ou seja, o produto que eu venderia na Alemanha por 100 euros eu tenho que vender aqui no Brasil por 143,50 euros – diz.
 
Ribaldo apontou o sistema tributário brasileiro como um dos fatores que comprometem a competitividade e a eficiência do setor.
 
– Eu não vejo, em nenhum lugar do mundo, a tributação no investimento. Você não vai tributar a árvore, e sim a maçã que vai colher da árvore. A máquina não deve ser tributada, porque ela é uma geradora de impostos, tem que ser tributado o produto que ela transforma – ressalta.
 
O deputado Jerônimo Goergen deve se encontrar com integrantes da Comissão de Integração Nacional e dos empresários no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) para discutir medidas que possam levar à redução do preço final dos produtos industrializados no país.
 
Fonte: Rural BR. 20 de junho de 2013.