O reaproveitamento de subprodutos de frigoríficos e abatedouros evita a deposição de material contaminante no solo

Responde para ZH: Alexandre Mossate Gabbi, coordenador de Pesquisa e Desenvolvimento da Eurotec Nutrition do Brasil

As partes não aproveitadas das aves, como vísceras, penas e sangue, por exemplo, são destinadas à fabricação de farinhas de origem animal. Estes subprodutos passam por um processo de cocção (cozimento) e de prensagem para a separação do óleo e do chamado torresmo. Após essa etapa, vão para o moinho para, então, serem ensacados ou armazenados em silos. Durante este processo, a matéria-prima recebe ainda tratamentos antioxidante e antimicrobiano.

O processo de reciclagem animal, ou seja, o reaproveitamento de subprodutos de frigoríficos e abatedouros, é de grande importância para o ambiente, pois evita a deposição de material altamente contaminante no solo. Esses produtos também disponibiliza aos nutricionistas da área animal outras fontes de nutrientes para a formulação de rações. Têm, ainda, relevante viés econômico, já que possibilitam a geração de empregos nas fábricas voltadas ao setor.

Fonte: Zero Hora