A usina da Olfar em Porto Real (RJ) deverá ser a primeira unidade produtora de biocombustível a contar com a certificação necessária para emitir Créditos de Descarbonização (CBios). A empresa, que produz biodiesel, encaminhou sua documentação à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) em 11 de março.

O projeto de certificação da Olfar foi conduzido pela Green Domus. Em janeiro, a consultoria paulistana foi a primeira credenciada pela ANP para atuar como certificadora em projetos de fabricantes de biocombustíveis interessados no RenovaBio.

Antes de receber o sinal verde das ANP, a documentação da Olfar de Porto Real terá que cumprir uma etapa de consulta pública pelo prazo de 30 dias.
Ganho potencial

Adquirida pela Olfar em meados de 2015, a usina de Porto Real fabricou um pouco mais de 79,1 milhões de litros de biodiesel no ano passado. Se o RenovaBio já estivesse em funcionamento, a unidade poderia, em uma estimativa grosseira, ter ganhado até R$ 23,5 milhões com a venda de CBios.

A projeção parte de números do RenovaCalc e de premissas elaboradas pelo MME durante a fase de planejamento do programa. O cálculo ainda usa o maior valor de CBio projetado pelo MME, R$ 146,00.

Este montante se aproxima de 10% dos R$ 240,9 milhões que a planta faturou no ano passado com entregas de biodiesel.

Fonte – Fábio Rodrigues – BiodieselBR.com