A produção de carnes (bovina, suína e aves) deverá aumentar em 7,9 milhões de toneladas nos próximos dez anos, para 33,7 milhões de toneladas em 2014/2015, incremento de 30,7% em comparação com a estimativa de produção deste ano, de 25,8 milhões de toneladas. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Agricultura no estudo Projeções do Agronegócio Brasil – 2014/2015 – 2024/2025.
 
Conforme o levantamento, as carnes de frango e suína devem apresentar maior crescimento nos próximos anos: frango, 34,7% e suína, 35,1%. A estimativa para 2015 para a produção de frango é de 13,1 milhões de toneladas, enquanto em 2025, a quantidade está estimada em 17,6 milhões.
 
Para a carne suína, a expectativa é de que a produção passe de 3,4 milhões de toneladas para 4,7 milhões de t no mesmo período. O crescimento anual deve atingir a 3% para a carne de frango e 2,9% ao ano para a carne suína.
 
Já a produção de carne bovina deve crescer 23,3% entre o ano base e o final das projeções, de 9,2 milhões de toneladas  para 11,3 milhões de toneladas. O crescimento projetado representa 2,1% ao ano, considerado suficiente para  atender ao consumo interno e externo pela equipe do Mapa.

 
Mercado – Embora o Brasil seja, em geral, um grande exportador desses produtos, o consumo interno será predominante no destino da produção, diz o estudo. Do aumento previsto na produção de carne de frango, 64,5% da produção de 2024/25 serão destinados ao mercado interno; da carne bovina produzida, 74,6% deverão ir ao mercado interno, e na carne suína 82,8%.
 
As exportações de carnes ao final do período das projeções devem aumentar em 2,7 milhões de toneladas, para 9,5 milhões de toneladas em 2025 ante 6,7 milhões de toneladas em 2015. Desse montante, 1,7 milhão de toneladas, ou seja 62,7% deve ser de carne de frango, que deve passar de 4 milhões de toneladas para 5,8 milhões de toneladas na comparação entre 2015 e 2025.
 
O restante do acréscimo na quantidade exportada fica distribuído entre carne bovina, 28,8%, que deve passar de 2 milhões de toneladas para 2,8 milhões de t, e a carne suína, 8,4%, passando de 515 mil toneladas para 744 mil toneladas.
 
O mercado para a carne bovina é representado por Hong Kong, Rússia, União Europeia, Venezuela e Egito. Para a carne de frango, os principais destinos são Arábia Saudita, União Europeia (EU 28), Japão, China, Emirados árabes Unidos, Hong Kong e Venezuela. Para a carne suína, os principais mercados são Rússia, Hong Kong e Cingapura.
 
As carnes de frango e de suínos lideram as taxas de crescimento anual das exportações para os próximos anos, com alta estimada em 3,6% para a carne de frango e 3,7%, para a carne suína. As exportações de carne bovina devem atingir média anual de 3,3% de crescimento.
 
Consumo – O crescimento anual projetado para o consumo da carne de frango é de 2,8% no período 2014/15 a 2024/25. Isso significa um aumento de 32,1% no consumo nos próximos 10 anos, para 11,9 milhões de toneladas.
 
A carne suína passa para o segundo lugar no crescimento do consumo com uma taxa anual de 2,6% nos próximos anos, de 2,9 milhões de toneladas neste ano para 3,9 milhões de toneladas em 2025.
 
O menor nível de aumento do consumo é o estimado para a carne bovina, de 1,5% ao ano para os próximos dez anos, de 7,1 milhões de toneladas para 8,4 milhões de toneladas.
 
Fonte:  Portal DBO