A agroindústria brasileira recuou 3,9% no primeiro semestre de 2012 ante o mesmo período de 2011. O resultado aponta para um ritmo de queda ligeiramente superior ao dos seis primeiros meses do ano passado (-3,4%) e praticamente repete o número apresentado pela produção da indústria nacional como um todo entre janeiro e junho deste ano, de -3,8%. As informações foram divulgadas nesta terça-feira (7/8) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), considerando essas comparações contra igual período do ano anterior. Em base trimestral, o total da agroindústria cresceu 4,2% nos três primeiros meses deste ano, mas recuou 9,9% no trimestre seguinte.
 
 
A abertura do dado do IBGE mostra que, no primeiro semestre de 2012, os setores vinculados à agricultura, que têm maior peso na atividade da agroindústria, registraram queda de 5,9%, mostrando um desempenho mais negativo do que os setores associados à pecuária (-5%). Já os grupamentos de inseticidas, herbicidas e outros defensivos para uso agropecuário (27,4%) e de madeira (5,9%) avançaram.
 
 
"Embora os derivados da agricultura tenham recuado no primeiro semestre de 2012, pressionados, sobretudo, pelos resultados negativos dos derivados da cana-de-açúcar (-32,4%), a previsão para a safra de grãos deste ano, segundo o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) é de cerca de 160,7 milhões de toneladas, resultado 0,4% superior à safra recorde de 2011 (160,1 milhões de toneladas)", destacou o IBGE, em nota oficial.
 
O IBGE destacou também que a balança comercial do agronegócio aumentou 5,7% no primeiro semestre deste ano, ao passar de US$34,8 bilhões em igual período do ano passado para US$36,8 bilhões ao final de junho de 2012.
  
Fonte: Agência Estado / Agrolink