A suinocultura passa por uma das piores crises no setor. De acordo com o presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), Marcelo Lopes, a existência de um preço mínimo para comercialização da carne suína é fundamental para a atividade. Centenas de granjas correm o risco de fechar e cerca de um milhão de trabalhadores podem ser afetados. Além dos elevados custos da atividade, a demanda interna e externa estão recuando, devido às dificuldades impostas por importantes países compradores de carne suína, como a Rússia e Argentina.

Segundo Lopes, os decretos de situação de emergência das prefeituras catarinenses, principal Estado produtor, ajudam a alertar o governo federal para a situação que o suinocultor está passando há 18 meses. Os altos preços dos insumos, como milho e soja, também contribuem para os prejuízos na atividade, que se torna inviável diante dos elevados custos de produção.
Fonte: Rural BR