Cerca de 37 mil trabalhadores trabalhadores portuários vão paralisar o serviço no próximo dia 25 de março. Representantes da categoria aprovaram indicativo de greve, que antes estava marcada para o dia 19, segundo informações do presidente da Federação Nacional dos Portuários (FNP), Eduardo Guterra.
 
 
 
“Transferimos para o dia 25 em função do processo de negociação e da demonstração da comissão mista de continuar o diálogo com os trabalhadores, bem como a prorrogação da MP [Medida Provisória] dos Portos, já que o diálogo com o governo e o Congresso Nacional indica que alguns aspectos [da MP] serão mudados”, disse Guterra.
 
 
 
A pauta de reivindicações dos sindicalistas inclui a “não privatização dos portos”, a obrigatoriedade de contratação de trabalhadores avulsos através do Órgão Gestor de Mão de Obra (Ogmo) e a conservação da guarda portuária. As exigências não estão contempladas na atual medida provisória que rege o setor, a chamada “MP dos Portos”.
 
 
 
“Ainda não houve nenhuma resposta objetiva a nossas reivindicações. Mesmo assim, suspendemos a greve (do dia 19). Agora, se não houver avanços, o indicativo de greve já está aprovado e os sindicatos estão sendo orientados a convocar assembleias e cumprir todas as exigências da lei de greve”, comentou o presidente da Federação Nacional dos Avulsos (Fenccovib), Mário Teixeira Teixeira.
 
 

Fonte: Agrolink