Mesmo com a queda de 0,32% no Produto Interno Bruto (PIB) agrícola em julho, o PIB da agropecuária entre janeiro a julho de 2013 cresceu 6,54%, puxado pelo aumento da produção e da alta nos preços. Nas propriedades rurais, a agricultura cresceu 4,47% e a pecuária 9,44% no mesmo período, segundo cálculos da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq).
 
O PIB do setor agrícola recuou 0,32% em julho. Em termos acumulados, porém, cresceu 1,82%. Na agricultura, o cenário mais favorável em termos de preços foi o da batata, do trigo e do tomate.
 
A pecuária manteve em julho o desempenho positivo observado desde janeiro, com crescimentos de 1,20% no mês e de 6,91% no acumulado de 2013. As variações de preços contribuem para o desempenho registrado por CNA e Cepea.
 
Segundo o levantamento, apesar de as cotações do suíno e do frango vivo estarem elevadas se comparadas com o resultado dos sete primeiros meses de 2012, elas têm recuado em 2013. No caso do frango, a tendência de queda foi revertida em julho e o preço médio de comercialização em São Paulo atingiu patamar recorde para o mês.
 
O levantamento mostra que a produção de fertilizantes cresceu 1,48% no acumulado de 2013 até julho e os preços caíram 6,39%. O aumento na produção é resultado da expectativa de antecipação das compras para a safra de verão 2013/2014 e para a segunda safra de milho, segundo a CNA e o Cepea. Já o recuo dos preços é visto como tendência do mercado externo, principalmente em relação à ureia.
 
Fonte:  Valor