Ao analisar os vírus da Influenza Aviária (IA) coletados de aves vivas comercializadas em pequenos mercados avícolas de Hangzhou, pesquisadores chineses identificaram uma nova espécie do tipo H5N9 resultante da combinação de vários outros vírus da IA.

Os estudos realizados demonstraram que um dos vírus isolados, embora pertencente ao subtipo H5N9, era uma cepa recombinante proveniente de pelo menos outros três subtipos – H5N1, H7N9 e H9N2 – e, por isso, com características totalmente diferentes das relatadas até então no tocante aos H5N9.

Conforme os autores da pesquisa, o novo vírus H5N9 possui um gene H5 de alta patogenicidade e um gene N9 pertencente a um H5N9 infectante de humanos. Mas apresentou baixas taxas de mortalidade em camundongos, “provavelmente por ter as aves como hospedeiro preferencial”.

Os pesquisadores também reconhecem que, no atual estágio, é impossível afirmar se, a partir de seu hospedeiro avícola, o novo vírus terá capacidade para infectar humanos ou, mesmo, se tornar um subtipo pandêmico. Mas, pelas suas características recombinantes, sugerem ser interessante avaliar os riscos potenciais de transmissibilidade para a saúde pública.

Clique aqui para acessar, no Journal da Sociedade Americana de Microbiologia (ASM, na sigla em inglês) o resumo do trabalho científico realizado.
 
Fonte: Avisite