As paralisações de caminhoneiros nas principais estradas brasileiras nos últimos dias têm afetado a cadeia produtiva de suínos, principalmente nos Estados de Santa Catarina e Paraná. As manifestações têm atrasado desde a entrega de rações e animais vivos até o transporte de carnes para os mercados interno e externo.

De acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), por enquanto, não houve reflexos nos preços, que persistem em queda na maioria das regiões. No atacado da Grande São Paulo, onde a dificuldade de recebimento da carne dos estados do Sul poderia motivar alguns reajustes, o cenário continua sendo de baixas.

Entre as duas últimas semanas, o preço da carcaça comum suína recuou 1,6% e o da carcaça especial, 1,9%, com o quilo passando para a média de R$ 4,19 e de R$ 4,36, respectivamente, nessa quinta, dia 4.
 
Fonte: CEPEA / Canal Rural