Mato Grosso do Sul ampliou sua produção de aves e suínos em 2015, mas a elevação dos custos das atividades comprometeram a rentabilidade dos produtores. É o que aponta o Informativo Casa Rural – Retrospectiva, elaborado pelo Departamento de Economia da Federação de Agricultura e Pecuária do estado (Famasul).
Segundo a entidade, no caso dos suínos, o incremento na produção foi de 7,1% frente a 2014, com o número de abates chegando a 1,4 milhão de animais. A produção de carne atingiu 127,1 mil toneladas.
"Precisamos considerar que 90% da nossa produção têm como principal destino o mercado interno, sendo que grande parte é direcionada a São Paulo. Sendo assim, considerando que os outros Estados devem ter optado em exportar sua produção, acabaram absorvendo a nossa carne suína", explica a gestora do Departamento de Economia da Famasul, Adriana Mascarenhas.
Os números comprovam a afirmação da economista. De acordo com o informativo, as vendas internacionais do setor totalizaram 14,6 mil toneladas em Mato Grosso do Sul, com queda de 12% em relação a 2014. Porém, no cenário nacional, as exportações do setor atingiram 542,1 mil toneladas.
Na avicultura, o cenário não é diferente. O abate de frangos foi superior a 170 milhões de cabeças, alta de 7,7% em relação ao ano de 2014 e a produção de carne atingiu 410,9 mil toneladas, o que representou um incremento de 8,5% frente ao ano anterior.
"O frango tornou-se, em2015, a primeira opção do consumidor brasileiro diante do aumento do preço da carne bovina. Apesar disso, temos que considerar que no ano passado, a tarifa de energia elétrica, um dos principais insumos deste segmento, subiu mais de 50%", salienta Adriana.
De acordo com a gestora, em 2016 o avicultor e o suinocultor terá que gerenciar ainda mais o controle dos custos de produção. "É a correta gestão que fará a diferença para a rentabilidade do produtor ao longo deste ano. O acompanhamento do mercado também é imprescindível. Como a previsão para o ano é de que a crise ainda se manterá, quem não se adequar e fazer compras e vendas no momento estratégico, acumulará prejuízos", conclui.
 
Fonte: G1