A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) programou para 2015 uma série de missões empresariais e participação intensiva em feiras internacionais com o objetivo de abrir novos mercados para as empresas nacionais e dessa forma contribuir para o aumento as exportações brasileiras e a reversão do deficit de US$ 3,93 bilhões registrado na balança comercial brasileira em 2014.
 
Além de organizar um ambicioso calendário de missões, a Apex-Brasil pretende ampliar a participação das empresas brasileiras nas mais importantes feiras de todo o mundo e nos mais diversos segmentos.
 
A primeira dessas iniciativas terá como alvo o Japão e será realizada no mês de março, com a participação na  Foodex, uma das maiores feiras asiáticas do setor de alimentos e bebidas.
 
Outras missões da Apex-Brasil levarão empresários brasileiros aos Estados Unidos, Egito, Argélia, Polônia, Alemanha, África do Sul, Angola, Moçambique, Quênia, Tanzânia, Colômbia, Peru, Rússia, República Dominicana e Costa Rica. Estes são os países com missões já confirmadas. A relação deverá ser acrescida de outros países no decorrer do ano. Da mesma forma, nos próximos meses a Apex-Brasil poderá anunciar a participação de empresas brasileiras em diversas outras feiras em países dos mais diversos continentes.
 
De acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), de janeiro a outubro do ano passado, as exportações realizadas com o apoio da Apex-Brasil totalizaram US$ 52,4 bilhões, uma alta de 39,5% em comparação com igual período de 2013 e correspondentes a 27,3% de todo o volume exportado pelo País no período.
 
Mesmo sem arriscar prognósticos, este ano a Apex-Brasil pretende aumentar esses números, contribuindo para que as empresas brasileiras conquistem novos mercados e colaborando para um maior dinmismo do comércio exterior brasileiro.
 
Logo após assumir o MDIC, o ministro Armando Monteiro afirmou que vai trabalhar focado na busca de novos mercados internacionais para os produtos brasileiros visando, sobretudo, reverter o resultado negativo registrado pela balança comercial no ano passado.
 
Empossado o novo ministro, a Apex-Brasil divulgou uma relação que envolve missões empresariais e participação em feiras, ações a serem implementadas com o objetivo de seguir à risca a estratégia do MDIC.
 
O primeiro desses eventos será a participação na Foodex Japan 2015, de 3 a 6 de março, em Tóquio. Trata-se de uma das mais importantes feiras internacionais de alimentos e bebidas e que no ano passado teve a partiipação de 2.650 expositores de 82 países. Quarto empresas associadas ao Projeto Organics Brasil (parceria entre a Apex-Brasil e o Instituto de Promoção do Desenvolvimento, IPD) participaram da feira e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) também esteve presente à mostra promovendo a participação de empresas brasileiras no evento. Ao todo, as empresas apoiadas pela Apex-Brasil fecharam negócios no valor de aproximadamente US$ 46 milhões.
 
Feiras e Missões Empresariais
 
Para este ano a Apex-Brasil pretende levar um número maior de empresas para explorar oportunidades de negócios envolvendo não apenas produtos orgânicos mas também outros tipos de alimentos. Ao participar ativamente da feira no Japão, a Apex-Brasil acredita que as empresas brasileiras conquistarão outros mercados nos países asiáticos.
 
A estratégia montada pela Apex levará ainda um grupo de empresas brasileiras ä Fancy Food, no mês de junho, nos Estados Unidos, e à WorldFood, programada para o mês de outubro, em Moscou.
 
 
A participação nessas e em outras feiras do setor de alimentos e bebidas acontecerá de forma alinhada com a realização de uma série de missões de prospecção de negócios em diversos países.
 
A primeira dessas missões levará os empresários brasileiros à Polônia e Alemanha, no mês de julho. A seguir, em julho, haverá uma missão a cinco países africanos: África do Sul, Angola, Moçambique, Quênia e Tanzãnia. Em agosto, será a vez dos empresários brasileiros visitarem dois dos mais importantes mercados para os produtos manufaturados brasileiros, Colômbia e Peru.
 
Esses dois países, juntamente com o Chile e o México, integram a Aliança do Pacíico, bloco considerado pelo ministro Armando Monteiro um dos parceiros preferenciais do Brasil em suas ações de comércio exterior.
 
E o ciclo das missões  -pelo menos com a configuração estabelecida neste início de ano- será fechado com  uma viagem à República Dominicana e à Costa Rica.
 
Projetos Setoriais
 
Ao mesmo tempo em que elabora esse minucioso plano de participação de empresas brasileiras em feiras internacionais e aumenta consideravelmente o número de missões comerciais ao exterior, a Apex-Brasil vai atuar de forma igualmente intensa no contexto dos Projetos Setoriais, de apoio à participação de um número cada vez maior de empresas brasileiras no comércio exterior.
 
Os projetos setoriais possibilitam que as empresas possam participar de ações de promoção comercial internacional apoiadas pela Apex-Brasil através de suas entiades de classe ou de iniciativas implementadas diretamente pela Associação.
 
Entre os setores contemplados figuram Alimentos, Bebidas e Agronegócios, Cavalos Mangalarga Marchador, Material Genético, Material Genético Zebuíno, Produtos para Animais de Companhia, Reciclagem Animal, Casa e Construção (Arquitetura, Acessórios e Componentes para Móveis, Iluminação,Insumos para Varejo, Materiais Não-Ferrosos, Móveis, Rochas Ornamentais, Vidros), Economia Criativa (Arte Contemporânea, Cinema, Conteúdos para TV, Design, Esportes, Filmes Publicitários, Franquias, Instrumentos Musicais, Licenciamento, Livros, Música), Máquinas e Equipamentos, Moda e Tecnologia (Empreendimentos Inovadores, Jogos Eletrônicos, Software e Serviços Correlatos de TI), Saúde (Equipamentos Médico-Odotológicos e Hospitalares, Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, Farmoquímicos e Medicamentos).
 
Fonte: Apex-Brasil