Skip to main content

 A Petrobras Biocombustível e o Ministério da Pesca estão pesquisando uma máquina capaz de transformar restos de peixe em biocombustível. A nova tecnologia, que já está em estudo no Ceará, deve ser apresentada até o dia 19 de novembro.

 
Segundo informações da revista Isto É, o objetivo é que o novo combustível passe a integrar o grupo de produtos que o País transforma em biodiesel.
 
A inovação vai utilizar toneladas de vísceras de peixes, que são descartadas anualmente em todo o país, para convertê-la em combustível limpo.
 
A Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará (Nutec) – em parceria com a empresa Ekipar e o governo do Estado – finaliza a criação da máquina para processar a matéria-prima residual do pescado e extrair o óleo.
 
O presidente da Nutec, Lindberg Gonçalves, disse à Isto É que espera alcançar três objetivos.
 
— O primeiro, de caráter ambiental, é o fim da poluição dos açudes e rios gerada pelo descarte das vísceras dos peixes. O segundo é a geração de renda extra para as cooperativas de pescadores. E o terceiro é a fabricação de um combustível limpo.
 
O Ministério da Pesca e Aquicultura, comandado por Marcelo Crivella, tem uma meta ambiciosa para os próximos quatro anos: aumentar em dez vezes a produção de pescados por cultivo. Atualmente, o País produz 500 mil toneladas de pescado por ano e, em quatro anos, pode chegar a 5 milhões.
 
Chamado de Plano Safra, o projeto anunciado em setembro por Crivella prevê destinar cerca de R$ 6 bilhões para financiar aquicultores, modernizar a indústria e revitalizar barcos.
 
O País terá produzido 2 milhões de toneladas de pescado por ano até o final de 2014, segundo a Isto É. Com isso, 210 milhões de litros de biodiesel à base de óleo de peixe irão impulsionar caminhões todos os anos.
 
Fonte: R7 Notícias