O faturamento bruto dos produtores de frango brasileiros deverá ter um aumento de 5,5% em 2016, chegando a R$ 52,5 bilhões, segundo estimativas de Valor Bruto de Produção Agropecuária (VBP) divulgadas na segunda-feira (18) pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). 
O Valor Bruto de Produção Agropecuária corresponde ao faturamento bruto nos estabelecimentos produtores, e sua estimativa anual é calculada e atualizada mensalmente pelo Mapa com base na produção agrícola e pecuária e nos preços recebidos pelos produtores. 
A estimativa do Mapa para o faturamento do setor pecuário em 2016 como um todo é de R$ 176,7 bilhões, ante R$ 177,5 milhões em 2015. Entre os diversos produtos que compõem o segmento de pecuária (bovinos, frangos, suínos, leite e ovos), é esperado aumento apenas para o VBP de frango. 
Em 2015, o principal aumento entre os produtos pecuários ocorreu para o VBP dos bovinos, de 4,7%, refletindo o cenário de escassez de boi pronto para abate que impulsionou os preços do animal, colaborando para margens dos produtores mas apertando a dos frigoríficos. Enquanto o preço da matéria-prima para os frigoríficos subia, a redução do poder aquisitivo dos consumidores e a piora do cenário econômico no país dificultaram o repasse deste aumento ao preço da carne para o cliente final.
O VBP de bovinos fechou 2015 em R$ 73,8 bilhões, seguindo uma curva ascendente observada por pelo menos os últimos quatro anos. 
Já para 2016, a expectativa é de uma redução de 2,3% no faturamento bruto da produção de bovinos em relação a 2015, a R$ 72,1 bilhões. 
No caso dos suínos, o VBP deve fechar em R$ 14 bilhões em 2016, segundo estimativas do Mapa, numa queda de 2,6% ante o registrado em 2015 (R$ 14,4 bilhões).
O valor bruto da produção agropecuária total do Brasil somou R$ 498,5 bilhões em 2015, recorde histórico, impulsionado principalmente pelos faturamentos com produção de milho, soja e bovinos. 
A estimativa do Mapa é que o VBP total do Brasil chegue a R$ 503,6 bilhões em 2016, aumento de 1% ante os valores reais de 2015.
 
Fonte: Carnetec