Representantes do Departamento de Sanidade Animal (DSA) da Secretaria de Defesa Animal (SDA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), das unidades federativas e do setor produtivo de suínos estão reunidos nesta terça (14) e quarta-feira (15), em Belo Horizonte (MG), para traçar metas e estratégias a fim de que o Brasil obtenha o reconhecimento internacional de zona livre da Peste Suína Clássica (PSC).

 
A reunião tem por objetivo o alinhamento de todos os estados brasileiros e do setor produtivo às regras que devem ser cumpridas para que a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) reconheça-os como zona livre da doença.  

 
A PSC está incluída na lista de doenças de notificação obrigatória da OIE, devido à grande capacidade de difusão, gerando restrições ao comércio mundial de suínos e dos produtos e subprodutos de suínos.

 
O Mapa já encaminhou à OIE um relatório solicitando reconhecimento internacional do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina e propôs como meta o reconhecimento dos demais estados que compõem zona livre com reconhecimento nacional, até 2016.

 
O Brasil já possui reconhecimento nacional de zona livre de Peste Suína Clássica nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Sergipe, Rondônia, Acre e Distrito Federal.
 
Fonte: MAPA