As sete empresas processadoras de pescado envolvidas na Operação Poseidon em Santa Catarina (SC) foram submetidas nesta terça-feira à Regime Especial de Fiscalização (REF). A partir disso, passarão por procedimentos determinados pelo Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que contemplam a verificação prévia pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF) de todos os lotes de pescado a serem comercializados.
 
“O Dipoa acompanhará todas as ações restritivas no estado juntamente com o Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sipoa). São medidas adotadas com o intuito de proteger a saúde do consumidor brasileiro no que se refere à rastreabilidade de produtos”, afirma o diretor substituto do Dipoa, Leandro Feijó.
 
Segundo Feijó, a finalização deste regime especial será determinada por este departamento somente após restabelecimento da normalidade nas empresas, as quais deverão encaminhar as medidas corretivas para avaliação com parecer favorável da Inspeção Federal local (IF) e do Sipoa do estado.
 
Clique aqui e saiba mais
 
Fonte: MAPA