Com o objetivo de suspender as restrições temporárias à compra da carne bovina brasileira, representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) visitam 12 países entre os meses de fevereiro e março deste ano. Essas nações impuseram restrições à carne devido à ocorrência de um caso atípico de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB) ocorrido no Brasil.

 
Apesar das restrições desses países, as exportações de carne bovina em janeiro atingiram a cifra de US$ 409,2 milhões – alta de 36% sobre o mesmo mês de 2012. As vendas para o mercado internacional de bovinos vivos também apresentaram crescimento substancial, de 104,2% no período, somando US$ 65,2 milhões.

"As visitas técnicas, no entanto, são importantes para restabelecer o quanto antes as negociações comerciais com países que suspenderam as importações do Brasil, até obterem melhor entendimento sobre o caso", afirmou o secretário de Relações Internacionais do Mapa, Célio Porto. Peru e Chile já haviam solicitado informações detalhadas e a perspectiva é de que as suspensões em vigor sejam retiradas em breve.
 
As missões do Ministério da Agricultura iniciam a partir do dia 28 de fevereiro. O primeiro grupo – formado pelo secretário de Defesa Agropecuária, Ênio Marques, e pelo diretor do Departamento de Saúde Animal, Guilherme Marques, visita Arábia Saudita, Bahrein, Catar e Omã. A outra equipe, constituída pelo diretor do Departamento de Negociações Sanitárias e Fitossanitárias, Lino Colsera, e o coordenador substituto de Combate às Doenças, Carlos Pizarro, dirige-se ao Egito, Jordânia, Líbano e Kuwait. Célio Porto, acompanhado da Coordenadora-Geral de Combate às Doenças, Denise Euclydes Mariano da Costa, forma a equipe que entre os dias 18 e 22 de março visita a Japão, China e África do Sul.
 
A expectativa do Governo Brasileiro é que as soluções sejam rápidas para os casos a partir dos esclarecimentos e da recente manutenção do status do Brasil como risco insignificante para a EEB pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). "É importante esclarecer que o país é o maior produtor de bovinos do mundo com o reconhecimento desse status. E estamos falando de um rebanho de 214 milhões de cabeças", acrescentou o secretário Ênio Marques.
 
Desde 1990, o Mapa aplica medidas preventivas para evitar a ocorrência da doença, que têm sido constantemente atualizadas de acordo com a informação científica disponível e as recomendações do Código Sanitário de Animais Terrestres da OIE. Entre as medidas de mitigação de risco adotadas no Brasil estão o controle da importação de bovinos e produtos de origem animal, remoção de material de risco potencial nos frigoríficos, controle da alimentação de ruminantes (proibição quanto ao uso de determinados produtos de origem de animal) e vigilância rígida para detecção precoce da doença.
 
Fonte: Mapa