Skip to main content

A ABRA-Associação Brasileira de Reciclagem Animal, que representa as indústria que processam anualmente 13 milhões de toneladas de resíduos do abate de animais de produção para a fabricação de farinhas, gorduras, hemoderivados e gelatinas, produtos utilizados em sua grande maioria na fabricação de alimentos para animais, biocombustível e produtos de limpeza, manifesta sua grande preocupação quanto ao entendimento que considera inconstitucional (https://glo.bo/2OFNzci) a cobrança de 0,6% sobre a folha de salário das empresas para financiar o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

Atualmente estas três entidades praticamente existem por conta do repasse desta cobrança e, caso este entendimento seja efetivado, consideramos que haverá um grade impacto negativo ao setor industrial brasileiro, incluindo o de reciclagem animal, que desde 2012 possui o Projeto Setorial denominado Brazilian Renderers (http://brazilianrenderers.com/) com a Apex-Brasil.

O foco principal da atuação da Apex-Brasil, revisado pelo Decreto 8.788/2016, diz respeito às ações estratégicas que promovam a inserção competitiva das empresas brasileiras nas cadeias globais de valor, à atração de investimentos, à geração de empregos e ao apoio às empresas de pequeno porte. Além disso, a Agência coordena ações voltadas para a elaboração de estudos econômicos, jurídicos e técnicos e para a prestação de serviços de promoção do comércio exterior, dos investimentos e da competitividade internacional do País. Também é foco de atuação o subsídio às negociações comerciais de interesse da República Federativa do Brasil.

Nos últimos 17 anos, a Apex-Brasil tornou-se protagonista na internacionalização de empresas brasileiras. Antes de sua constituição, as iniciativas de promoção às exportações do Brasil eram fragmentadas e descoordenadas. Hoje, a instituição está consolidada como um importante apoio aos empresários nacionais de todos os portes, especialmente os de pequeno e médio.

No período de 2015 a 2019, a Apex-Brasil firmou parcerias com cerca de 100 entidades setoriais, por meio de 240 convênios e chegou a apoiar mais de 30 mil empresas, sendo mais de 14.284 empresas brasileiras apenas em 2019, 7.629 (53,4%) Micro e Pequenas Empresas – MPEs e 5.802 novas empresas, que não participaram de ações da Apex-Brasil em 2018. Isso a torna grande responsável pelos mais de U$$ 280 bilhões gerados em exportações. Não há dúvidas que a agência contribui para os resultados da balança comercial, por meio da diversificação da pauta exportadora, abertura de novos mercados, consolidação e/ou ampliação dos mercados tradicionais, além da inclusão de itens com maior valor agregado.

É importante destacar a relevância e o impacto do apoio oferecido pela Agência, uma vez que foi observado que 56,9% das empresas exportadoras apoiadas apresentaram crescimento de exportação em 2019, se comparado com o ano anterior. Além disso, 2.632 empresas exportaram um novo produto e 2.849 exportaram para um novo mercado, se observada uma série histórica de quatro anos.

Desde o início da parceria entre a Apex-Brasil e a ABRA, a participação das empresas no projeto setorial mais do que dobrou, passando de 30 em 2012 para 73 empresas até dezembro de 2019, um aumento de 143%. Já o número de empresas exportadoras, aumentou de 7 para 29 nesse mesmo período (aumento de 314%), o que demonstra um processo de internacionalização do setor muito consistente. Em 2012, o setor de reciclagem animal exportou US$ 40 milhões e ano passado, devido ao projeto setorial, o setor alcançou expressivos US$ 384 milhões, um crescimento de 860% em 8 anos.

O setor de reciclagem animal ainda tem um grande potencial de exportação a ser explorado e o contínuo apoio da Apex-Brasil é fundamental na efetivação desse potencial.

Manifestamos o irrestrito apoio do setor de reciclagem animal à manutenção da viabilidade do SEBRAE, da ABDI e, principalmente da Apex-Brasil, por entendermos que a conjugação de esforços entre estas entidades e o nosso setor industrial é primordial para aumentar a competitividade e exportações dos produtos oriundos da reciclagem animal, por meio da promoção comercial e demais medidas pertinentes, tudo mediante a atuação atenta, assertiva e eficaz.

 

Acesse também o documento aqui.

 

ABRA-Associação Brasileira de Reciclagem Animal

 

Fonte: Assessoria de Comunicação ABRA

Publicado em: 22.07.2020