Skip to main content

 
SÃO PAULO – Pesquisa realizada pela Economist Intelligence Unit (EIU) aponta que a economia global poderia receber ganhos anuais de US$ 2 trilhões até 2030 somente com a realização de investimentos em áreas rurais. Intitulado “Destravando a Economia Rural”, o estudo divulgado hoje, afirma que o desenvolvimento rural elevaria em mais de 13% o Produto Interno Bruto (PIB) do setor, para cerca de US$ 17 trilhões.
Os pesquisadores da EIU modelaram como o PIB mundial, o PIB rural e as populações rurais poderiam evoluir até 2030 em diversos cenários. A intenção era examinar de queforma o desenvolvimento da economia rural poderia ser fortalecida em seis países — Angola, Argentina, China, França, Índia and Nigéria. Após a análise, a EIU chegou a algumas conclusões: infraestrutura, política agrária e direitos da terra são cruciais para o destravamento econômico do campo.
As restrições ao uso da terra, a falta de direitos sobre ela e de documentação adequada resultaram, nos últimos anos, em uma queda significativa dos investimentos em agricultura nesses países. O foco maior em políticas agrárias, nesse contexto, ajudaria o desenvolvimento rural – as políticas nacionais precisam contemplar o campo de forma mais refinada.
A infraestrutura operacional é outro tema levantado pelo estudo. Melhorar o transporte agrícola, assim como a infraestrutura elétrica e de água, são essenciais para garantir o crescimento. Assim como investimentos maiores na cadeia de valor, em produtividade e irrigação.
“Essa pesquisa enfatiza a escala impressionante de crescimento que é possível destravar nas zonas rurais. Governos de todo o mundo devem reavaliar quanto as áreas rurais podem contribuir com as suas economias — algo ainda frequentemente ignorado”, diz Brian Gardner, editor da Economist Intelligence Unit. O estudo foi patrocinado pela Syngenta.
Fonte Jornal O Valor