Apesar de não haver detecções de influenza aviária de alta patogenicidade registrados nos EUA há mais de sete semanas, o número de vítimas do vírus assumido pela indústria de aves e ovos dos EUA este ano é impressionante. Somente o impacto das exportações perdidas – o resultado de uma enxurrada de restrições comerciais relacionadas à Influenza Aviária, instituídas sobre as importações dos EUA de produtos de aves e ovos – chegou a quase 390 milhões dólares durante o primeiro semestre de 2015.
 
Queda de 14% nas exportações de aves dos EUA
 
Em termos precisos, o valor combinado de exportações de aves e ovos dos Estados Unidos, para o primeiro semestre caiu 14% em relação ao mesmo período do ano passado, para 2.4054 bilhões de dólares, um declínio no valor de 386,3 milhões dólares, de acordo com dados do comércio compilados pelo Serviço de Agricultura Estrangeiro (Foreign Agricultural Service, em inglês).

Esta queda acentuada no valor da exportação, um dos maiores para um período de janeiro a junho, é um exemplo gráfico do efeito econômico do surto multi-estado deste ano que a gripe aviária de alta patogenicidade tem tido sobre a indústria.
 
Suspensão de restrições à importação
 
A boa notícia é que alguns países já começaram a suspender suas restrições à importação de produtos de aves originárias de determinados estados, agora que mais de 90 dias se passaram desde que fazendas afetadas foram limpas e desinfestadas, como é recomendado pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).
Hong Kong, só esta semana anunciou que suspendeu as restrições em 10 municípios anteriormente proibidos nos estados de Arkansas, Washington, Oregon e Califórnia. Alguns parceiros comerciais dos EUA têm sido lentos para remover as restrições, no entanto, incluindo o México, o maior mercado de exportação da indústria. Japão e Cingapura também recentemente removeram restrições.
 
Indústria avícola se prepara para o retorno da Influenza Aviária
 
Embora o vírus HPAI esteja com uma lacuna durante os meses quentes de verão, a indústria americana está se preparando para seu possível retorno esta queda, como as aves migratórias –  considerados os principais vetores do vírus – seguem para o sul para o inverno. Autoridades estaduais e federais se preocupam se as aves selvagens irão transportar o vírus para a rota migratória atlântica que corta o coração das principais áreas de produção de aves do meio do Atlântico e Sudeste.
 
Os valores das exportações de aves dos EUA
 
Exportadores, entretanto, esperaram o melhor depois de um primeiro semestre desanimador. As exportações de carne de aves para janeiro a junho caiu 9% para 1,84 milhões de toneladas, enquanto o valor caiu 15%, para 2241 milhões dólares. O impacto vai além das exportações, como mais produto no mercado interno significa preços mais baixos que contribuem para as perdas.
As exportações de carne de frango para o mês de junho caíram 14%, para 305.504 toneladas, enquanto o valor afundou em 25% para $ 348.800.000, em comparação com o mesmo mês do ano anterior.
 
Impactos no mercado brasileiro
 
Os casos de Influenza Aviária nos Estados Unidos têm impactado diretamente o comércio internacional de aves, no qual os norte-americanos são – ao lado do Brasil – um dos principais players. Veja como isso pode beneficiar o Brasil, assim como os reflexos diretos sobre os preços do produto e nas exportações mundiais na última edição da revista Avicultura Industrial. Acesse aqui.
 
Fonte:  Redação AI, com informações do site World Poultry