A Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) considera que o ajuste produtivo feito pelo setor nos últimos meses equilibrou oferta e demanda por carne bovina no País, de modo que a indústria não deve fechar mais unidades industriais este ano.
 
O presidente da instituição, Péricles Salazar, defendeu que os preços atuais da arroba estão em patamares “bastante razoáveis” para o produtor.
 
“Acredito que novos fechamentos não vão ocorrer. O mercado já se equilibrou e a indústria consegue respirar (em termos de margens), o que não acontecia antes. Nos últimos meses, houve uma crise aguda de excesso de oferta de carne no mercado, causada por abates elevados e queda na exportação. Com isso, muitas plantas foram fechadas e a indústria reduziu sua produção. Cada empresa, pensando em si mesma, contribuiu para isso e o mercado se ajustou automaticamente”.
 
Quando questionado se os preços do gado podem subir na entressafra deste ano, ele disse que é difícil fazer previsões  “pois são múltiplas as variáveis que influenciam a oferta e a demanda agregada no mercado, mas acredito que os preços da arroba se manterão de razoáveis a bons para o produtor. Prevejo um certo grau de estabilidade, dentro dos níveis atuais, até porque uma valorização excessiva do boi pode comprometer o consumo interno e as exportações”.
 
Questionado se a arroba está favorável ao produtor, ele disse: “Defendemos uma lucratividade boa para o pecuarista. Ele precisa ser rentável para que mantenha suas matrizes no campo, produza bezerros e aumente o rebanho bovino brasileiro. Caso contrário, desiste da atividade e a indústria não terá matéria-prima para trabalhar. Mas, neste momento, os preços pagos aos pecuaristas são bastante razoáveis para mantê-los na atividade e aumentar a produção”.
 
Fonte: Estadão