De acordo com o relatório "Mercado de Nutrição Animal e Oportunidades até 2019", da TechSci Research, indicou que o segmento deverá crescer 16% até 2019 na China. O aumento crescente da demanda por carnes e derivados, especialmente por carne suína, deve sustentar este aumento. "A suinocultura deve manter o seu domínio, como reza a tradição, mas a produção de carnes de frango e bovina também contribuirão para os bons resultados da indústria de ração", atesta a TechSci Research.
 
Apesar número de fábricas de rações ter reduzido de 15.518, em 2005, para 10.843, em 2010, a capacidade de produção total chinesa deve aumentar de forma constante nos próximos quatro anos. O relatório salienta que o mercado de alimentação animal do país segue altamente dependente dos preços de matérias-primas como trigo, milho e soja. O Brasil é um grande exportador de commodities para o mercado chinês. Com informações do ReportsnReports.com
 
Fonte:  Redação AI/SI