O presidente executivo da União Brasileira de Avicultura (UBABEF), Francisco Turra, e o gerente de Relações com o Mercado, Adriano Zerbini, participaram hoje (09) da primeira rodada de palestras do encontro entre os países da América Latina e do Sudeste Asiático, durante o Asean Latin Business Forum 2012.  O evento segue até amanhã, em Jacarta (Indonésia). 
O Fórum foi aberto pelo presidente da República da Indonésia, Susilo Bambang Yudhoyono.  Em seu discurso, Yudhoyono ressaltou o interesse e o compromisso das dez maiores economias do Sudeste Asiático – membros da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) – com os países latino-americanos.  Segundo o presidente, o potencial de crescimento do comercio entre as duas regiões é imenso e deve ser explorado pelo setor privado e promovido pelos governos.   
    
Anfitrião do evento, o ministro do Comércio da Indonésia, Gita Wirjawan, afirmou que a distância entre as duas regiões do planeta não pode se constituir em barreira para a aproximação econômica. "O próprio ministro ressaltou que a superação das barreiras comerciais é a forma mais eficiente de aproximação", disse Turra, participante do evento a convite de Wirjawan. 
 
O governo brasileiro é representado no evento pelo embaixador do Brasil em Jacarta, Paulo Soares, e pela secretária de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Tatiana Prazeres. 
 
O encontro contou ainda com a realização da primeira reunião bilateral do Grupo de Trabalho de Comércio Brasil-Indonésia, criado pelos governos com o objetivo de negociar as atuais barreiras comerciais existentes entre os dos países.  Por solicitação da UBABEF, a abertura do mercado da Indonésia para a carne de aves do Brasil integrou a agenda da reunião.  "Tentaremos eliminar barreiras que a Indonésia têm imposto nas negociações para a abertura, iniciadas em 2009", explica Turra.
 
Amanhã o presidente da UBABEF participará de um painel sobre segurança alimentar e sustentabilidade nos países da ASEAN.  Turra destacará a intenção do setor exportador avícola brasileiro em ser parceiro nas estratégias de segurança alimentar dos países da região. 
 
Fonte: Avicultura Industrial