Skip to main content

As importações de carne suína pela China poderão chegar ao nível mais alto neste ano, após uma redução na produção nacional. A projeção é da filial do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) em Pequim.
O USDA estima importações totais de 1,3 milhões de toneladas em 2016, esse valor representa um aumento de 450 mil toneladas em relação à projeção inicial do Departamento.
Segundo departamento, o aumento nas compras é resultado da produção interna estagnada, enquanto que a demanda cresce em ritmo continuo. Na produção chinesa de carne suína, a Agência reduziu sua previsão em 3 milhões de toneladas (-2,5%), totalizando 53,5 milhões de toneladas em 2016.
De acordo como relatório, a China – maior produtora mundial de suínos – tem enfrentado uma reestruturação em sua indústria, com redução no rebanho. As produções em pequena escala estão dando lugar a grandes indústrias.
"Muitos produtores de suínos (especialmente menores) não têm acesso ao capital para expandir seus rebanhos e tirar proveito dos baixos custos de alimentação e os preços elevados de animal," disse o departamento em seu relatório.
A União Européia continua a ser o principal beneficiário do aumento das importações de carne suína chinesas, aproveitando 80% da cota de mercado.
O USDA considera que neste ano a China deva exportar, devido a todos esses fatores, o total de 230 mil toneladas, 20 mil a menos que a previsão inicial.
 
Fonte: Agrimoney