A criação do Instituto Mato-grossense da Carne (IMAC) deve trazer um novo estímulo para a cadeia produtiva da bovinocultura de Mato Grosso. O objetivo é promover a carne produzida no Estado e estimular pesquisas voltadas para a padronização de carcaças e à melhoria da qualidade do produto.
O projeto do Governo do Estado, que está na Assembleia Legislativa para apreciação, pretende elevar o padrão de qualidade para ampliar a participação da produção estadual de gado de corte no mercado. Elaborado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec) em conjunto com setores produtivos, o IMAC deve contribuir para o desenvolvimento da cadeira produtiva bovina de Mato Grosso, que detém o maior rebanho do País, com 28,5 milhões de cabeças.
Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Seneri Paludo, o trabalho do instituto vai além. “A ação também fomentará a cadeia produtiva de grãos, agregando valor à matéria-prima e transformando proteína vegetal em proteína animal”, ressalta.
O IMAC ainda vai contar com um Sistema Eletrônico de Informação das Indústrias de Carne, que permitirá melhor controle sobre a produção, tanto pelos frigoríficos quanto pelos produtores, e beneficiará o consumidor, que terá garantida a segurança alimentar do produto adquirido.
O projeto foi formatado a exemplo do Instituto Nacional de Carnes do Uruguai (INAC), criado há mais de 40 anos e que marcou uma mudança importante no setor, fortalecendo a produção da carne uruguaia. Ainda de acordo com o secretário, com o fomento à melhoria da qualidade da carne, Mato Grosso poderá ter acesso a mercados consumidores exigentes somando, assim, maior receita para toda a cadeia produtiva.
 
Fonte: Assessoria de Imprensa IMAC/Feed&Food