O Grupo Marfrig espera investir R$ 600 milhões em 2014 e se concentrará no crescimento orgânico até 2018, em vez de aquisições como em anos anteriores, disse o futuro presidente do grupo, Sergio Rial, nesta segunda-feira (21) em São Paulo.
 
Rial liderou uma apresentação do grupo realizada para investidores e analistas na capital paulista. A empresa está passando por um grande periodo de reestruturação que incluiu a venda da Seara Brasil a JBS SA em junho.
 
A Marfrig projeta que a receita de vendas alcance R$ 18,5 bilhões este ano, com uma recuperação para até R$ 23 bilhões de receita em 2014, chegando ao nível de receita de 2012, quando ainda tinha a Seara, disse Rial. Em 2013, o fluxo de caixa livre será inexistente, e em 2014 poderia chegar a R$ 150 milhões. Mas a partir de 2015, o caixa seria suficiente para saldar a dívida, acrescentou.
 
"Nós entendemos completamente a história recente da Marfrig. É uma história que (cansou) muitos investidores", disse Rial. O grupo quer agora a atrair de volta o mercado "com um plano de crescimento mais limpo e a companhia mais aberta possível, com um crescimento impressionante em novos mercados".
 
O Brasil deverá representar 35% da receita de vendas da Marfrig em 2013, mesmo tendo em conta a venda este ano da divisão Seara Brasil. O Brasil representou 32% das vendas da Marfrig no ano passado.
 
A subsidiária Moy Park, maior produtor de carne de frango da União Europeia, deve responder por 25% da receita do grupo neste ano. Ela deve aumentar a receita em 15% este ano, para R$ 4,6 bilhões, com lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) em cerca de R$ 285 milhões, um aumento projetado de 37% ante 2012.
 
"Nosso crescimento deverá ocorrer com o aumento do nosso mix de vendas, com foco na redução de custos e aumentando a presença de carne in natura e as vendas no varejo", disse Nigel Dunlop, CEO da Moy Park, que irá se aposentar no final deste ano. Ele será sucedido por Janet McCollum, atual diretora financeira do grupo.
 
Como parte do plano de crescimento global do Grupo Marfrig, a Moy Park vai tentar aumentar as vendas de carne avícola in natura e processados no Reino Unido e na Irlanda, expandir ainda mais para a UE, aumentar os canais de food service em toda a região e tornar-se a plataforma de distribuição da Marfrig para toda a UE, disse McCollum.
 
A empresa vai aumentar as vendas de sua marca própria no varejo e explorar novos canais de venda como lojas de conveniência e supermercados on-line, acrescentou.
 
A Marfrig Beef, o segundo maior produtor de carne bovina do Brasil, espera alcançar R$ 8,5 bilhões em receita este ano, um aumento de 12% em relação a um ano atrás. O EBITDA para este ano está projetado em R$ 757 milhões, uma queda de 20% em relação ao ano anterior.
 
As vendas da Marfrig Beef devem responder por 47% da receita total do grupo este ano. Os planos de crescimento para os próximos cinco anos incluem alavancar vendas de carne bovina por meio de outras subsidiárias do grupo, e melhorar as taxas de utilização de plantas brasileiras, de 74% hoje para mais de 80% até 2018.
Plantas de processamento de carne bovina no Brasil também podem ser dedicadas pela empresa para mercados ou produtos específicos, e a empresa irá estabelecer novos centros de distribuição nas regiões central e nordeste do Brasil, onde atualmente não tem presença logística.
 
A subsidiária Keystone Foods espera fechar 2013 com receita de vendas de R$ 5,4 bilhões, um aumento de 10% ante 2012, e vai construir sua primeira planta de processamento na Indonésia em 2014, disse Richard Wong, vice-presidente executivo para a Ásia -Pacífico, Oriente Médio e África (APMEA), a CarneTec.

Fonte: Carnetec