Skip to main content

O presidente executivo da União Brasileira de Avicultura (UBABEF), Francisco Turra, e o diretor Administrativo e Financeiro, José Perboyre, dirigiram ontem (12) um encontro com diretores e gerentes de logística das agroindústrias produtoras e exportadoras do setor avícola brasileiro, dando andamento aos trabalhos do Grupo Permanente de Logística da UBABEF. O encontro aconteceu na sede da entidade, em São Paulo.
 
Coordenado por Perboyre, o grupo tratou de temas sensíveis e que vêm causando a perda de competitividade para a cadeia produtora e exportadora brasileira, como a nova legislação que estabelece diretrizes sobre o exercício da profissão do motorista (Lei n° 12.619, conhecida como “Lei do Caminhoneiro”), tolerância na pesagem dos caminhões, cabotagem, racionalização de processos nos portos, necessidades e investimentos prioritários em infraestrutura, entre outros pontos.
 
Durante o encontro, o presidente da UBABEF lembrou a entrega de um documento ao vice-presidente da República, Michel Temer, com 60 pontos críticos e sugestões para questões relativas à logística nacional. Segundo Turra, a entidade tem como prioridade trabalhar para reduzir os impactos destas e de outras questões que estão afetando a competitividade do setor avícola nacional.
 
“Não vamos assistir passivamente à perda de oportunidades tão valiosas quanto as que o país tem deixado escorrer pelas mãos. A população mundial atingirá 9 bilhões de habitantes em pouco mais de três décadas, e precisará do Brasil como grande fornecedor de alimentos. Temos que estar prontos para exercer esse papel”, explica o presidente da UBABEF.
 
Conforme Perboyre, o forte crescimento da avicultura e do agronegócio brasileiro ressaltou ao país a necessidade de se investir em soluções logísticas. “Como nunca, a logística se consolidou como um dos pontos-chave para o desenvolvimento agroindustrial brasileiro, especialmente em um setor altamente dinâmico como a avicultura. Neste sentido, temos intensificado o envolvimento das empresas em debates que tragam soluções proativas à logística nacional”, disse.
 
Fonte: Jornal O presente Rural / UBABEF