Uma divisão entre o Ministério da Agricultura e o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) sobre abertura comercial afeta a posição brasileira nas negociações agrícolas da conferência ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC), em Bali, em duas semanas. Enquanto a Agricultura favorece a abertura de mercados para mais exportações, o MDA pretende que Brasília defenda a posição de países em desenvolvimento importadores, preocupados com a segurança alimentar.

Pelo que está esboçado no momento, se um pacote for aprovado em Bali, os países em desenvolvimento que derem subsídios além do permitido para formar estoques por razões de segurança alimentar não poderão ser questionados durante quatro anos na OMC, desde que não distorçam o comércio.

A Índia aprovou um programa para conceder US$ 20 bilhões por ano a mais em subvenções a seus agricultores para a formação de estoques, o que diminui, por exemplo, a necessidade de importações.
 
Fonte: Valor Econômico