Uma portaria interministerial da Agricultura, Fazenda e Planejamento, divulgada na edição desta segunda-feira (8) do "Diário Oficial da União", estabelece os parâmetros para concessão de subvenção destinada a sustentar os preços do milho, por meio de leilões de equalização de preços (Pepro), escoamento do produto (PEP) e repasse e recompra dos contratos de opção de venda. Os preços do cereal estão pressionados pela colheita da safrinha recorde de milho, principalmente em Mato Grosso, maior produtor nacional.
 
 
O governo autorizou a liberação de R$ 700 milhões para a operacionalização dos instrumentos de apoio à comercialização do milho pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). No caso do Pepro e da recompra das opções, as operações são destinadas a produtores rurais, diretamente ou por meio de cooperativas. No caso da PEP e repasse das opções, as operações são destinadas aos consumidores e comerciantes de milho.
 
 
Outra portaria interministerial publicada hoje disponibiliza mais 1 milhão de toneladas de milho para atender avicultores, suinocultores e pecuaristas (boi, caprinos e ovinos) da área de abrangência da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).
 
 
Fonte:Globo Rural