Skip to main content

  Com seus lucros pressionados por três anos de queda nos preços de produtos agrícolas, algumas das maiores empresas de agronegócio do mundo estão cogitando se unir no que pode ser a primeira grande transformação do setor em pelo menos uma década.
   A Syngenta está negociando uma potencial fusão com a divisão agrícola da DuPont, que também discute outro possível acordo na área agrícola com a Dow Chemical. As discussões estão nos estágios iniciais, mas ganharam força desde que a Monsanto desistiu, em agosto, de tentar adquirir a Syngenta, depois que sua proposta de US$ 46 bilhões foi rejeitada pela empresa suíça. Se fechado, o negócio teria criado a maior fornecedora mundial de sementes e pesticidas. Agora, a Monsanto pode enfrentar a ameaça de concorrentes muito maiores se suas rivais acabarem se unindo, dizem analistas. 
Os executivos têm indicado publicamente seu interesse na consolidação do setor. Edward Breen, que se tornou diretor-presidente da DuPont em 16 de outubro, depois da saída de Ellen Kullman, disse na semana passada que vem discutido acordos com outras empresas do setor.Fonte:
Jornal O Valor Econômico – Por Jacob Bunge, Shayndi Raice e Eyk Henning | The Wall Street Journal