O levantamento mensal da FAO relativo ao comportamento dos preços dos alimentos no mercado internacional aponta que em maio houve um generalizado recuo de preços em relação ao mês anterior.

Tal queda incluiu as carnes que, após breve recuperação em abril, voltaram a apresentar recuo. Mas sem retroceder aos níveis observados em março passado, mês em que foi registrado o menor preço desde fevereiro de 2011.

Na média, o preço das carnes em maio recuou 1% em relação a abril – resultado que não foi acompanhado pelas exportações brasileiras, pois, conforme a SECEX/MDIC, o preço médio das três carnes exportadas pelo Brasil em maio passado aumentou 4,5% em relação ao mês anterior.

Porém, na comparação com o mesmo mês do ano passado, o desempenho brasileiro acompanha a queda observada no mercado internacional, da ordem de 12%. Naturalmente, esse resultado é influenciado também pelas exportações brasileiras que, em função também da valorização do dólar, acusaram em maio passado preço médio 15% menor que o de maio de 2014.

Justificando a nova queda de maio (após ligeira alta em abril), a FAO observa que, no geral, foram os preços da carne bovina que recuaram, pois as carnes de frango e suína permaneceram estáveis (dados preliminares).

Mesmo assim é ressalvado, no caso da carne de frango, que as restrições de importação impostas aos EUA por alguns países devido aos surtos de Influenza Aviária também influenciaram os preços da commodity.
 
 
Fonte: Avisite