Levantamentos feitos pela Associação  Brasileira de Proteína Animal (ABPA) mostram que  as exportações brasileiras de avicultura – que incluem os embarques de frangos, ovos, perus, patos e marrecos, ovos férteis e material genético – totalizaram 950,2 mil toneladas nos três primeiros meses de 2014, resultado 0,4% maior em relação ao mesmo período do ano passado.  Em receita, houve queda de 11,5%, com total de US$ 1,832 bilhão.

Na avaliação mensal, houve crescimento de 0,2% no volume total embarcado em março deste ano em comparação com o mesmo período de 2013, atingindo 332,3 mil toneladas.  Com total de US$ 640,9 milhões, a receita das exportações do setor registrou queda de 14,3%.
 
De acordo com o presidente da ABPA, Francisco Turra, proporcionalmente, os embarques de carne de frango apresentaram maior influência no resultado positivo dos volumes embarcados e no saldo negativo da receita.
 
“Ao mesmo tempo, tivemos boas surpresas com o ótimo desempenho das exportações de ovos férteis, segmento com bom potencial para expansão da rentabilidade da avicultura, indicando que, por sua característica sanitária, o Brasil pode expandir ainda mais seu papel de hub mundial de material genético”, destaca o presidente da ABPA.
 
Ainda com relação aos embarques de carne de frango, conforme explica o vice-presidente de aves da ABPA, Ricardo Santin, o desempenho de determinados segmentos exportados melhorou o resultado final da receita.
 
“O aumento da venda de cortes de frango com valor médio superior amenizou a queda da receita, agregando maior valor às exportações”, ressalta Santin.
 
CARNE DE FRANGO
 
As exportações brasileiras de carne de frango acumulam alta de 0,7% em volumes nos três primeiros meses de 2014, com total de 907,3 mil toneladas embarcadas.  Em receita, houve decréscimo de 11,5%, atingindo US$ 1,705 bilhão entre janeiro e março deste ano.
 
 Considerando apenas o embarque mensal, as exportações registraram queda de 0,5% em março deste ano, com 318,1 mil toneladas.  Também houve redução na receita, de 16,1%, atingindo US$ 595,7 milhões no período.
 
Na análise por produto, os cortes se mantiveram como principal produto da pauta exportadora do setor, 500,9 mil toneladas embarcadas entre janeiro e março, com crescimento de 7% em relação ao mesmo período de 2013.  Em segundo lugar, os embarques de produtos inteiros atingiram 325,4 mil toneladas (-7,5%).  As carnes salgadas, no terceiro posto, totalizaram 41,4 mil toneladas (-1,2%).  Por último, as exportações de industrializados chegaram a 39,7 mil toneladas (+0,8).
 
No ranking dos principais destinos de exportação, o Oriente Médio manteve-se como maior importador, com 332 mil toneladas (-4,6%).  A Ásia, na segunda posição, importou 270,5 mil toneladas (+7,5%) de carne de frango made in Brazil.  Os países da África – terceiro maior destino – foram responsáveis por 125,3 mil toneladas (1,7%).  No quarto posto, os embarques para a União Europeia totalizaram 101 mil toneladas (-0,8%). Países das Américas, com 58,8 mil toneladas (+6,1%), da Europa não membros da União Europeia, com 18,9 mil toneladas (-7,4%) e da Oceania, com 536 toneladas (+18,6%) completam a lista. 
 
OVOS
 
As exportações de ovos in natura e processados totalizaram no primeiro trimestre deste ano 3,7 mil toneladas, resultado 26,8% menor em relação ao mesmo período do ano passado.  Em receita, a queda foi de 41,5%, com US$ 5,2 milhões.
 
Verificado o desempenho do segmento apenas no mês de março, houve queda de 40,9% em volumes (com 533 toneladas) e de 46,5% em receita (com US$ 835 mil).
 
O Oriente Médio manteve-se como principal destino das exportações no primeiro trimestre, com 2,9 mil toneladas, com aumento de 44% em relação ao mesmo período do ano passado.  A África – segundo maior importador – foi responsável por 485 toneladas (-81%).  Os países das Américas, com 339,9 toneladas (-21%) e da Ásia, com 22,4 toneladas (-67%) completam a lista.
 
PERUS
 
Os embarques de carne de peru no primeiro trimestre de 2014 registraram queda de 12% em relação ao mesmo período do ano passado, com total de 32,7 mil toneladas.  Também houve decréscimo na receita, de 16,5%, com US$ 88,1 milhões.
 
Na avaliação mensal, houve aumento de 11,1% nos volumes (total de 11,4 mil toneladas) e de 15,5% na receita (com US$ 31,4 milhões).
 
PATOS E GANSOS 
 
No segmento de patos e gansos houve aumento de 806% nos embarques dos três primeiros meses deste ano em relação ao mesmo período de 2013, com total de 3,5 mil toneladas.  O aumento também foi expressivo em receita, de 239,8%, com US$ 3,7 milhões.

Considerando apenas o mês de março, a elevação foi de 451,8%, com 1,2 mil toneladas.  Em receita, a elevação foi de 112,7%, com US$ 1,2 milhão. 
 
OVOS FÉRTEIS 
 
As exportações de ovos férteis totalizaram 2,6 mil toneladas entre janeiro e março deste ano, resultado 28,6% maior em relação ao mesmo período do ano anterior.  Houve crescimento também no resultado cambial, de 29,3%, com US$ 16 milhões.
Em março deste ano, os embarques do segmento atingiram 1 mil toneladas, dado 59,5% maior na comparação com o mesmo mês de 2013.  Também foi registrado crescimento em receita, de 60,3%, com US$ 6,2 milhões.
  
MATERIAL GENÉTICO 
 
Com 187 toneladas embarcadas, as exportações de material genético apresentaram queda de 28% no primeiro trimestre deste ano. Houve retração também na receita total do segmento, de 3,1%, com US$ 14,1 milhões.
 
O resultado do mês de março também apresentou quedas em volume, de 22,8% (com 64 toneladas), mas com elevação de 9,2% em receita (com US$ 5,5 milhões).
 
 ASCOM ABPA