O preço médio dos alimentos pesa menos no bolso dos consumidores nas últimas semanas. As carnes, porém, poderão ter caminho inverso.
 
O preço está em alta no mercado externo, o país aumenta o volume exportado e o resultado é uma sustentação das negociações internas.
 
A carne suína é a que tem a maior recuperação. Após iniciar o ano em R$71,0 por arroba, o preço caiu para R$46,0 em maio e, ontem, alguns frigoríficos pagavam até R$62,0 em São Paulo.
 
Na média, as negociações ocorrem a R$59,0 por arroba no estado, segundo pesquisa da Folha.
 
O frango também se recupera. Negociado a R$3,0 por quilo no início do ano, a ave viva caiu para apenas R$1,80 em maio. Iniciou uma retomada de preços em junho e ontem esteve a R$ 2,25 nas granjas paulistas.
 
O preço do boi surpreende e se mantém acima de R$100,0 por arroba em São Paulo, segundo pesquisa da Folha. O valor atual supera em 6% o do ano passado.
 
A perda de qualidade de parte dos pastos, devido ao frio, elevou a oferta de animais prontos para o abate nas últimas semanas, e o preço perdeu o ritmo de alta.
 
Os números de exportações de carne in natura da SECEX (Secretaria de Comércio Exterior) ajudam a entender o desempenho do setor.
 
A venda externa de carne de frango in natura subiu para 311 mil toneladas em julho, 11% mais do que em 2012.
 
Os números da SECEX indicam, ainda, um volume de 105 mil toneladas de carne bovina, estável em relação a 2012. Já as vendas externas de carne suína subiram para 44 mil toneladas no mês passado, 16% mais do que em julho do ano anterior.
 
Fonte: Folha de São Paulo. Por Mauro Zafalon. 7 de agosto de 2013.