Skip to main content

As exportações brasileiras de carne suína somaram 54,71 mil toneladas em agosto, o que representa o maior volume mensal observado até agora em 2012, informou nesta terça-feira a Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs).
 
Trata-se de uma alta de 19,24% em relação ao mesmo mês de 2011, quando o Brasil embarcou 45.887 toneladas. Em termos de receita, agosto ficou atrás apenas de maio, totalizando US$ 134,42 milhões – avanço de 10,10% na comparação anual. Já os preços continuam em queda neste ano. Em agosto, a tonelada do produto foi negociada, em média, a US$ 2.457, valor 7,67% inferior ao apurado em igual intervalo de 2011.
 
De janeiro a agosto, os embarques do produto subiram 5,42% em relação aos oito primeiros meses de 2011, somando 367.743 toneladas. O faturamento nesse mesmo período, no entanto, é 2,2% menor (US$ 930 milhões).
 
No mês passado, a Rússia foi o principal comprador, respondendo por 26,03% do volume e por 28,35% da receita das exportações brasileiras. No total, o País vendeu aos russos 14.241 toneladas (US$ 38,10 milhões), avanços de 387,43% em volume e 327,57% em termos de faturamento em relação a agosto do ano passado. Para a Argentina, cujo embargo à carne suína brasileira foi encerrado em julho, as vendas aumentaram 6,64%, para 3.586 toneladas.
 
No acumulado de 2012, contudo, a Ucrânia é o principal comprador do produto (83.226 toneladas, ou 22,63% das exportações). Em seguida estão Hong Kong (82.770 t), Rússia (81.826 t), Angola (26.847 t) e Cingapura (18.674 t).