Em relatório divulgado em meados de novembro, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) informou que os Estados Unidos já podem se auto­declarar livres do vírus H5N2 da gripe aviária, que é altamente patogênico. Segundo a OIE, os americanos não registram casos do vírus há mais de cinco meses em frangos e há três meses em pássaros selvagens.
Relatado inicialmente em dezembro de 2014, o surto do vírus da gripe aviária nos EUA atingiu 15 Estados do país, provocando uma série de embargos contra a carne de frango americana e beneficiando países como o Brasil, que ganharam participação de mercado nas exportações para países anteriormente abastecidos pela carne dos EUA.
No relatório de 18 de outubro, a OIE considera que o surto nos EUA está “resolvido”. No entanto, as medida de controle e vigilância que foram reforçadas pelos EUA diante dos casos da doença devem continuar, de acordo com a instituição. A OIE não cita em seu relatório, mas o inverno, que se inicia em meados de dezembro no Hemisfério Norte, é considerado o período mais crítico para a disseminação do vírus da gripe aviária.
 
Fonte: Valor Econômico