A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da USP apresentou na quinta-feira 20 a técnicos do governo o impacto do preço do biodiesel na inflação, um dos entraves, sobretudo para a área econômica, para aumentar a mistura do biocombustível no diesel mineral.

 
Segundo um alto funcionário do governo ao ver o estudo por economistas da Fipe na Casa Civil à comissão técnica interministerial que preparou o texto do projeo de lei com a nova legislação do setor de biodiesel, “vamos ver se agora o governo sai da inércia neste tema”.
 
A comissão, formada por técnicos de cinco ministérios mais a Casa Civil e a ANP, concluiu e entregou ao governo em abril deste ano, mas até agora não houve a decisão política de enviá-lo ao Congresso Nacional para votação.
 
Uma das resistências é o impacto inflacionário do aumento da mistura do biocombustível no diesel mineral, hoje em 5%.
 
O estudo da Fipe, encomendado pela Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil (Aprobio), mostra que no ano passado o aumento da inflação por causa do biodiesel foi de 0,037 pontos percentuais, quando comparado com o preço médio do diesel produzido pela Petrobras.
 
Na comparação com o diesel que a empresa importa, e anunciou esta semana dobrar estas importações, o impacto é ainda menor, de apenas 0,034 pontos percentuais.
 
Fonte: Isto É Dinheiro