Skip to main content

Frigoríficos apresentam taxas preocupantes de endividamento, segundo analistas.

A situação dos frigoríficos, que têm apresentado resultados negativos, chama a atenção de analistas de mercado, principalmente por causa do alto nível de endividamento. Algumas empresas chegam a ter dívida três vezes maior do que o lucro, sem contar o pagamento de impostos. A Marfrig apresentou perdas no quarto trimestre de 2011, de acordo com balanço divulgado nesta segunda, dia 26. Entre outubro e dezembro do ano passado, o prejuízo foi de R$ 138 milhões. Já na JBS, o último trimestre de 2011 foi de lucro de R$ 25 milhões. O Minerva, por sua vez, encerrou o período de outubro a dezembro do ano passado com lucro de mais de R$ 15 milhões.

– São custos subindo acima da capacidade de repasse para os preços das carnes de uma forma geral, falando aí de todas as carnes. É normal que, nesse período, o preço das carnes suba, mas isso tem sido insignificante para gerar caixa o suficiente para reduzir o endividamento das empresas. Já tem um tempo que essas empresas, as que estão listadas no Brasil, as maiores, têm mostrado dificuldade em reduzir os seus níveis de alavancagem e o mercado começa a cobrar isso de uma maneira mais sistemática – aponta o analista de mercado Cesar de Castro Alves.

Ele acredita que o setor ainda deve sofrer pressão do lado dos custos. Avalia, no entanto, que a pior fase pode ter passado e cita como exemplo a carne bovina. Para o profissional, os preços do boi indicam queda, o que pode aliviar um pouco a situação das empresas. Quem deve ficar atento é o pecuarista que fornece matéria-prima para as empresas.

– Quando a empresa, que é o comprador do seu produto, está apertada, significa mais risco para o seu negócio. Para o pecuarista, o que ele pode fazer se estiver cético em relação à capacidade de pagamento dessas empresas, é vender à vista. Ele tem essa opção – diz.
Fonte: Rural BR